'Apanhou de besta', diz suspeito de agredir gay em SP

Dois homens foram detidos por policiais militares na noite de ontem suspeitos de agredir um homossexual na região de Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

De acordo com a PM, o estudante de direito André Cardoso Gomes Baliera voltava de uma farmácia a pé quando passou a ser xingando pelo empresário Bruno Portieri, 25, e pelo personal trainer Diego Mosca, 29, que estavam em um carro parado no cruzamento das ruas Teodoro Sampaio e Henrique Schaumann, por volta das 19h.

O estudante revidou os insultos. Os dois desceram do carro e agrediram Baliera com chutes e socos.

O estudante de direito André Cardoso Gomes Baliera, 27, que foi agredido em Pinheiros, zona oeste de SP
O empresário e o personal trainer foram detidos por PMs que faziam ronda pela região e levados para o 91º DP (Ceasa). Os dois foram autuados em flagrante por tentativa de homicídio.

Baliera sofreu um corte na região da cabeça e ficou com hematomas abaixo do olho esquerdo. Ele foi encaminhado a um hospital da região e liberado em seguida.

Na delegacia, Portieri e Mosca disseram que a briga foi motivada por uma discussão de trânsito.

"O agredido apanhou, apanhou de besta. Se ele tivesse seguido o caminho dele não teria apanhado", disse Portieri a TV Record, ao deixar a delegacia.

Fonte: Folha de S. Paulo

E daí algum pastor vem dizer que no Brasil não existe homofobia.
Se isso não é homofobia, é o que é então?
O Brasil precisa acordar dessa hipocrisia e desse ecumenismo filho de uma puta e perceber que enquanto a religião esta ditando as regras pessoas estão morrendo, e não são apenas gays; héteros estão sendo vítimas de homofobia também.

O pior é ouvir da boca de um agressor esses argumentos sem nenhum fundamento, que parecem mais um cuspe na cara da justiça ~ se é que ela existe nesses casos.

Agora é esperar para ver o que irá acontecer com os dois agressores, que vale ressaltar o nome de ambos: Diego Mosca e Bruno Portieri.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.