Cansei de ser "trans", quero voltar a ser boy


No último ano, Ria Cooper fez um prolongado tratamento com injeções de hormônio para mudar de menino para menina. Nascido Brad, a(o) adolescente de 18 anos desenvolveu seios, passou a usar roupas femininas, mudou o cabelo e chegou a sair com vários meninos. A mudança física e o acompanhamento psicológico foram financiados pelo sistema de saúde público ~ ou seja, ela realizou o sonho de boa parte dessas mini-trans que a gente vê em cada esquina, até ai tudo bem.

Apesar de, aparentemente, ter gostado do resultado, Ria resolveu dar um novo giro de 180 graus. Sim, ela agora quer voltar a ser menino ~ um minuto de silêncio.

"A vida realmente chegou no limite para mim recentemente. Os hormônios me fizeram sentir para cima e para baixo. Num instante estou deprimida, no outro estou feliz", contou Ria, que mora em Hull (Inglaterra), ao "Daily Mirror".



Agora, Ria está sonhando com uma carreira no Exército ~ juntamente com a Cláudia.

"Sempre quis entrar nas Forças Armadas. Ironicamente, eu saí com alguns soldados nos últimos dois anos!", comentou.
"Não quero viver isolada, longe de quem eu amo. Este é o único caminho a seguir. Eu apenas quero ser feliz e esta é a minha última chance", comentou a(o) jovem, que chegou a se prostituir e a tentar o suicídio.

Via: O Globo

Lendo esse tipo de matéria só chego a seguinte conclusão: pense muito bem antes de fazer a sua linda e sonhada vaginoplastia.
Sabemos que no Brasil, antes desse tipo de procedimento o paciente passa por uma bateria de exames e acompanhamento psicológico, até porque, depois que a tira a neca fora ~ ai fía, fica difícil de voltar atrás.

Então você, pequena gayzinha cabeça de vento, pense bem antes de virar uma linda e pheminina transexual, porque uma vez operada... ciao!
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.