Autor do Lanterna Verde gay diz que brasileiros foram os mais preconceituosos


Em painel na Comic Con sobre homossexualidade nos quadrinhos de super-herói, o quadrinista James Robinson confirmou que, sim, recebeu várias críticas por ter criado uma nova versão do Lanterna Verde original, Alan Scott, que é homossexual. Mas os piores ataques, diz o roteirista, vieram do Brasil.

"As críticas mais hostis que eu recebi vieram em tweets do Brasil. Eu tinha saído na noite anterior e na manhã seguinte comecei a tuitar 'putz, meu fígado está me matando' e alguém veio falar algo tipo: 'seu fígado está se vingando pelo que você fez com o Lanterna Verde'", contou Robinson segundo relato do site CBR.

"Então, só de vingança, quando Alan Scott puder ter um novo homem na vida, ele vai ser brasileiro", completou o escritor.


Robinson diz que a criação do Alan Scott gay foi sua, partindo apenas de uma orientação da DC Comics de introduzir mais diversidade sexual nas HQs.

A revelação da homossexualidade do herói, na série Earth 2, foi notícia mundial em junho - o que gerou inúmeras manifestações, tanto positivas quanto negativas, quanto à homossexuais nos quadrinhos. A organização cristã conservadora dos EUA One Million Moms, por exemplo, propôs um boicote à revista - como fez com outras HQs - mas foi tão atacada por comentários contrários ao boicote que teve que tirar o site do ar. James Robinson comentou, também na Comic Con, que estava orgulhoso desta investida contra a organização.

Fonte: Omelete
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.