Marco Nanini e a Vergonha dos Gays


Já viu artista negro falando mal da luta contra o racismo? Pois temos gays famosos que cospem na luta pela cidadania LGBT! Se a negra Thaís Araújo dissesse: “Não gosto da história de você ter de colocar a estrela negra. Acho isso cafona (risos)”. Você a aplaudiria?

Se o baiano Wagner Moura dissesse: “Não gosto da história de você ter de colocar a estrela de conchinhas. Acho isso cafona (risos).” Você o apoiaria?

Se o homossexual Marco Nanini dissesse: “Não gosto da história de você ter que colocar a estrela rosa. Acho isso cafona (risos).” Você estaria do lado dele?

Para o orgulho dos negros e dos nordestinos, as duas primeiras sentenças são apenas invenções. Para a lástima de nós gays, entretanto, a terceira veio da boca do recém-saído do armário Nanini.

Todo respeito ao ator pela opção de ficar décadas sem falar de sua homossexualidade! Porém, ele vir em público, colocar-se como gay, dourar o discurso como ato político (louvável) e – em movimento de anulação – fazer chacota da visibilidade de homossexuais… Vergonhoso!

Não, o discurso de “rótulo” de gay não convence! Se assim fosse, o que dizer de quem se apresenta como flamenguista? Como potiguar? Como médico? Que tipo de lógica consideraria a profissão ser uma característica de uma pessoa e a orientação sexual, de forma discrepante, ser rótulo para ela? A lógica da falta de aceitação de si mesmo? Única alternativa plausível!

Ninguém é obrigado a lutar por direitos. Ninguém é obrigado a louvar a luta por direitos. Todos deveriam, porém, se calar se as palavras elaboradas não fossem para dar valor a quem tem coragem de lutar por eles!

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.