Heterossexualmente fracos


Estava na faculdade e pelo msn acabamos marcando tudo bem rápido. Ele foi lá, me pegou e ainda no carro conversamos um pouco. Branco, olho claro, altura mediana; deveria ter cerca de 25 anos, mas com uma carinha de bom moço, assim era ele.

Como já era de se esperar, pouco tempo depois estávamos numa suíte de motel, e foi alí que tive a minha surpresa. Abraçados e com os dedos entrelaçados ví um brilho entre os dedos dele, para o meu espanto ele usava uma aliança, logo deduzi que era casado, mas ao mesmo tempo pensei: Putz como fui lerdo e não percebi isso antes?! Mas eu já estava na chuva, e não ia perder a oportunidade de "me molhar".

Algum tempo depois era hora de cada um tomar seu rumo e de volta no carro o celular dele toca. Ví que a proteção de tela do telefone era a foto de uma moça jovem e bonita, pelo diálogo que ele mantinha, percebi que havia uma mulher na outra linha, conclui que era sua esposa. Naquele momento me veio uma sensação súbita, quando dei por mim percebi que estava sentindo dó, isso mesmo, dó, pena, dos dois.
Ela perguntando onde ele estava e ele por sua vez inventou uma desculpa qualquer. Terminado o telefonema, voltamos a conversar e tocamos no assunto "casamento". Ele me revelou que em janeiro desse ano haviam completado um ano de casados, o que só aumentou o meu sentimento de pesar por eles.

Nunca tinha sentido isso antes, mas quando ví aquele cara jovem, bonito e super inteligente vivendo uma vida dupla, cheia de mentiras e hipocrisia a única coisa que consegui pensar foi: Ele não foi homem o suficiente para enfrentar tudo e todos, e assumir aquilo que ele realmente é ou gosta.

Não me senti superior a ele e nem quero deixar isso subentendido, mas eu me ví no mesmo papel, caso não tivesse criado coragem para dar o grito da liberdade. Fiquei imaginando com meus botões, quantos milhões de pseudo heterossexuais viviam daquela forma, porque eram fracos demais, talvez medrosos ou por algum outro motivo, não tiveram coragem de ser o que realmente são.
Acho que depois desse episódio vou evitar tachar, ou criticar os "pseudo heterossexuais", vai ver eles apenas são fracos de mais, ou demasiadamente covardes para enfrentar a reprovação da sociedade, assim como uma grande parcela de nós, gays fazemos; quando abrimos mão de tudo para sermos quem somos.

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.