Professor é Encontrado Morto em Motel de Fortaleza

Um caso assassinato é o assunto mais falado nos últimos dias entre as gay aqui em Fortaleza.

O caso envolve o professor Francisco Sávio Laércio, de 34 anos, que foi encontrado morto com um tiro na nuca, na ultima sexta-feira (2901) em um motel no bairro Genibaú.

Segundo informações a última vez que o professor foi visto, teria sido por volta de 4hs da manhã saindo de um barzinho no bairro do Conjunto Ceará, depois disso ele teria entrado no motel acompanhado por um homem, que não foi visto saindo do local.

Um único suspeito foi preso na manhã de hoje, e trata-se de um policial militar que segundo a mãe da vítima teria pegue uma moto que estava na garagem na casa, antes da família saber da morte de Laércio.

Até agora a policia não tem nenhum outro suspeito e o crime continua cheio de mistérios.

UPDATE

O policial suspeito de matar um professor de inglês na última sexta-feira (27), em um motel no Bairro Genibaú, periferia de Fortaleza, disse em depoimento que o tiro foi acidental, segundo informações da Divisão de Homicídios. No depoimento, o policial de 24 anos negou ser homossexual, mas confirmou que conhecia a vítima.

De acordo com o delegado Franco Pinheiro, o policial disse ter ido ao motel para usar o banheiro e consumir bebida alcoólica com o amigo. Mas teria sido atacado pela vítima e, ao tentar se desvencilhar, a arma disparou. “Ele [suspeito] afirma que o tiro foi acidental”, conta o delegado. Após a morre do professor, o suspeito fugiu deixando várias pistas no motel.

O policial está preso no 5º Batalhão da Polícia Militar, no Centro de Fortaleza. A partir de agora a polícia tem 30 dias para entregar o inquérito à Justiça. Se condenado, o suspeito pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

FONTE: G1
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.