Uma Coisinha Chamada "Gouinage"

Tá pensando que o blog é só fuá, barraco, putaria e necas saltitantes? Não meu amô, nos vamos muito além disso.
E hoje vamos tratar de um assunto novo, e que provavelmente nem todas conhecem: GOUINAGE.
A palavra é de origem francesa e traduzida ao pé da letra significa "bolacha", um termo muito usado no país para designar as chupadoras de pinguelo - lésbicas.



O babado todo é que lá na frança estão usando esse termo para nomear um prática que já é moda no país e que até então é muito comum entre algumas bilús, no caso dos ativos é a "briga de espadas" e nas passivas todas chamam de "quebração de louca" e pra quem ainda está na merda, eu soletro, gouinage é a pratica do sexo sem penetração.

A revista francesa "Pref Mag" tratou desse tema, e trouxe o seguinte título: “Ser gouine ou não ser?” além disso a revista arrancou alguns depoimentos de moços que praticam a gounage, então segura o peito e vem ler com a gente:

Segundo Marc, barman de 31 anos e um dos entrevistados pela publicação, “a vantagem do gouinage é que você pode fazer com todos, sem levantar a questão do ativo ou passivo. Todos somos gouines, sem distinção”. “O gouinage é o que chamamos erroneamente de sexo preliminar, mas nós, praticantes, o encaramos como meio para se atingir o orgasmo, com uma sensualidade que não se resume a penetrar o outro sem nenhum respeito pelos seus sentidos. No gouinage, você pode realmente ser você. Já no sexo comum, o ativo é sempre um pouco dominador, um pouco covarde”, afirma o rapaz.



Marc conheceu a prática pelo internet, após marcar um encontro pela web o parceiro propós o gouinage a ele, que resolveu atender ao pedido; “Eu não conhecia o estilo, mas tinha um ar mais cool, com menos pressão e tensão. Nós passamos duas horas na cama durante o dia e nenhuma das minhas transas, até aquele momento, duraram assim tanto tempo. Tornei-me adepto e em meu cadastro online precisei: ´Gouinage ou nada`. Agora, não faço mais que isso”, confessa o barman.

E ainda na entrevista Marc esclarece que a penetração não é algo totalmente excluso no "gouinage". “Você pode utilizar acessórios, já que penetrar também faz parte do prazer. Mas a penetração apenas faz parte do jogo. É tão importante quanto tocar, lamber, olhar... O gouinage é uma prática livre, que não tem códigos nem restrições”, finaliza o rapaz.

Minha sutíl opinião sobre tudo isso: adoro quando coisas simples ganham um nome cool e por algum motivo viram modinha, principalmente entre as bilús que adoram pagar de "antenadas", mas gente, o babado é bem, eu mesmo adoro sexo regado as preliminares, já fiz isso várias vezes e fui muito feliz, mesmo sem penetração, obrigada. Agora já pode pagar de bicha indie.hipster mell.cooh e dizer que é uma gouine. Muah!

Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.