Passei um cheque, e agora?

Hello moços homossexuais do meu coração, hoje acordei bondoso e resolvi dar algumas dicas de comportamento.
Vamos falar sobre o cheque.
Antes que alguma bescha pêssega - se você não sabe o que é ser pêssega, é porque você é uma delas - me pergunte o que é passar um cheque, eu vou definir o babado aqui, segundo três travestis bem alí que entrevistei.

Passar o cheque é quando por uma acaso durante a penetração anal o pênis do parceiro ativo fica sujo com resíduos de coliformes fecais, sendo mais clara, é quando a bescha vai dar o cooh e não faz a chuca que preste - se você também não sabe o que é "fazer a chuca", se mata - e no meio da putaria o pau do boy fica todo cagado, parecendo um churros. Pronto.
Fui claro? Obrigado.

Agora como proceder após esse momento de puro constrangimento?

O local: isso tem grande influencia bebê. Cagar o pau no motel é diferente de cagar na dark ou no cinemão. Caso o sequiçu seja em um lugar mais formal e onde não há a possibilidade de vossa senhoria esconder a cara de vergonha, o jeito é pedir licença e correr ao banheiro, fazer um review da chuca e voltar com dignidade e o carão truando. Claro, isso se o boy quiser continuar.
Caso o babado seja uma rapidinha, coisa de dark ou algo assim, o melhor é se fazer de doida e continuar se dedicando como se nada tivesse acontecido.


A pessoa: o socador tem um papel forte nessa putaria.
Passar o cheque no seu namorado é uma coisa, já fazer com aquele cauçu que tú não lembra nem o nome, é bem diferente.
Tem boy que mesmo após o cheque não se incomoda em continuar o babado, e claro, isso varia com a quantidade de merda que fica grudada na rola dele.
Alguns ativos ficam loucos do cooh e interrompem na hora, e se vacilar ainda te chamam de bicha cagona. Sinta-se humilhada, pegue suas coisas, vá embora e nunca mais olhe na cara dele, apesar de que provavelmente ele nunca mais vai olhar para a sua.
Não precisa chorar gata, na minha humilde opinião o cheque esta para as passivas, assim como brochar está para os ativos.


O futon: Que diabo é futon Alê? Te explico agora.

Futon nada mais é do que aquele cheiro puta que pariu que as vezes rola durante o sequiçu.
As vezes nem precisa de cheque, a merda nem é visível mas a catinga chega gritando, berrando e anunciado a sua podridão por dentro. Vale lembrar que há casos onde o cheque não exala um odor desagradavel e insuportavel, e nesse caso é até suportavel.
Eu mesmo me assusto mais com o futon do que com o próprio cheque, afinal, trepar com aquela catinga de merda é uó né gente? E nesse caso só "bom ar" pra resolver.
Se você se sentir incomodada com o cheiro, não pense duas vezes em fazer a fina e dizer que algo está lhe incomodando e pedir para adiar o babado. Deixa pra trepar outro dia.


Resumindo: pós cheque é realmente constrangedor, mas a atitude do ativo após a "merda" é o que vai definir o rumo da coisa. Caso ele não se incomode, continua bebê, mas se ele chiar não pense duas vezes, peça desculpas e vá pra casa com o pouco de dignidade que ainda lhe resta. Se ele for uma pessoa de caráter, acredito que não vai espalhar o assunto e você nem corre o risco de ficar com fama de chequeira, mas caso contrário: ai fudeu gata, ele vai acabar com a sua vida social.

Já podem comentar, fazer perguntas e contar pra gente suas experiências pós-cheque em 3° grau.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.