Todas tem: Glândulas de Tyson

Até lembro quando a muito tempo atras, sem nada pra fazer, fui me dedicar na produção de um bolo de três andares, com recheio de glacê - punheta mesmo - quando ví aquele monte de caroços brancos ao redor da cabeça do meu pênis.

Eu, um moço quase virgem, fiquei em pânico com aquele troço, jurava que era uma DST, ou algo desse tipo, daí não pensei duas vezes, liguei pro urologista, marquei uma consulta e finalmente descobri que raios estava acontecendo com o meu pinto.

Ah, vocês também tem isso, e até hoje não sabem do que se trata? Pois vem cá, depois do pulo tem o post delícia explicando tudo.




É comum aparecer em torno da cabeça do pênis uma série de pontos, parecendo espinhas brancas, que não se multiplicam, e ficam maiores em épocas mais quentes, mas retornam ao tamanho original. Essas espinhas não coçam e não irritam, mas podem despertar no homem angustia por não saberem ao certo do que se trata.

Elas são chamadas de Glândulas de Tyson, ou glândulas coronais e existem em todos os homens. Em alguns, entretanto, são mais proeminentes, o que leva a uma aparência de coroa de espinhos em torno da cabeça do pênis.

As glândulas coronais podem estar super desenvolvidas em alguns indivíduos, chegando a terem vergonha de que a(o) parceira(o) as confunda com alguma DST. A remoção das glândulas coronais da glande é a mais frequente dúvida relacionada à aparência do pênis.

São essas glândulas responsáveis pela formação da secreção branca chamada esmegma que acumula no pênis quando não há higiene, ou seja, quando o pênis apresenta um excesso de pele e não é limpo adequadamente, essa secreção junta-se com células mortas e bactérias, sendo muito prejudicial para a saúde do órgão genital. Mas não quer dizer que quem tem as glândulas mais desenvolvidas não faz uma higiene correta.
No ponto de vista funcional, não há por que mexer nessas glândulas. O que preocupa a maioria dos homens e os leva a quererem a retirada é a questão visual estética do pênis. Não é recomendado nenhum procedimento de retirada, pois a região pode ficar ressecada e sofrer rachaduras e fissuras. A aplicação de ácidos locais e abrasivos também deve ser evitada.
É importante ressaltar que a consulta com um Urologista é o melhor a fazer em caso de maiores dúvidas.
Share on Google Plus

Editor Blog Para Mocinhos

Thiago Silva - Estudante de jornalismo, 20 e poucos anos, curioso e extremamente gay além de editor e criador do Blog Para Mocinhos. Nos ouvidos um bom eletro pop e um pouco de indie rock, nos olhos um filme qualquer e uma boa companhia, e no coração alguma coisa que nem eu sei o que é ainda.