Jogo te ajuda a sair do armário


Se assim como a Sasha [sim a filha da Xuxa] você também foi educado em inglês, e ainda é um habitante de Nárnia [uma gay que vive no armário] esse jogo online pode ser de grande ajuda para você.
"Coming Out Simulator" simula através de perguntas o momento de contar para os seus pais toda a verdade, aquele momento tenso porém necessário em que você diz pra eles que é travesti gay.

Sempre simulando uma situação cotidiana e com três opções de resposta, o jogo foi inspirado na vida real de Nicky Casa, o desenvolvedor do game, que assim como a gente é gay e um dia teve que fazer seu "out".
O game é uma recriação da noite em que Nicky fez a grande revelação, isso foi em 2010 inclusive.

No jogo você pode bater um papo com Jack, o seu namorado no game, e claro, com o seu pai e sua mãe. Para jogar não tem complicação, você clica aqui e vai escolhendo a repostas que mais combinam com você.
O jogo ainda não tem versão em português, mas olha, é super útil, aliás, o Nicky já pode desenvolver um game ajudando a gente a "trucar a mala", até porque mesmo não me montando eu morro de curiosidade de aprender a fazer esse babado.

Lutador do UFC faz propaganda pró-casamento homoafetivo em pesagem


Um dos momentos que mais chamaram a atenção em toda a pesagem do UFC on FOX 12, sem dúvidas, foi a mensagem pró-casamento gay do meio-pesado Kyle Kingsbury.

Antes de subir à balança, o norte-americano retirou sua bermuda e exibiu na parte anterior de sua cueca a mensagem “Legalize gay” (ou “Legalizem (o casamento) gay”, em tradução livre).

A manifestação por meio do inusitado ato chamou a atenção dos presentes e inclusive dos responsáveis pela transmissão oficial do UFC, o âncora Jon Anik e o comentarista Daniel Cormier – lutador e que desafia Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados no UFC 178.


A gente adorou isso tudo, tanto que estamos postando até o vídeo pra vocês verem. 
Arrazou Kyle, fexou, sambou, costurou o cooh das inimigas e lutadores homofóbicos do UFC, com linha nylon.

Atores da Globo impressionam pela intimidade


Dois atores estavam tão íntimos durante a coletiva de lançamento de uma novela da Globo que muita gente começou a reparar. Ambos não faziam questão de esconder o carinho. Segundo pessoas próximas, ele estariam num relacionamento sério há algum tempo. 

No ano passado, um deles até tentou engatar um romance com uma colega de trabalho para despistar a imprensa, mas a relação não vingou nem convenceu. Agora, os dois bonitões vão trabalhar juntos novamente. Muitos rumores sobre relação deverão surgira a partir do mês de agosto... 

Via: Yahoo

Ex-Colírio da Capricho andou traindo o namorado?!


Moliér me segura que o babado é forte, do tipo gritaria, tiroteio e confusão.

Tá rolando uns fuás que um ex-colírio da Capricho, gay assumido, e que vivia gravando vídeos fofinhos com o love, teria traído o namorado. O pivô disso tudo seria uma certo ginasta brasileiro.

Não se sabe bem quando isso aconteceu, mas o fato é que os dois terminaram o namoro e pouco tempo depois o ex-colírio postou uma foto ao lado do ginasta de olhinhos puxados.
Isso foi o suficiente para o ex tweetar o seguinte [cheio de mágoas é claro].



Claro que a gente sabe o nome de todo mundo que está envolvido nessa história, mas não vamos contar por questões éticas. Claro que pode nem ter sido uma traição né? Vai ver a fila andou rápido de mais, sei lá!

Seja como for a gente tá triste porque os dois terminaram, e claro, porque formavam um casal tão lindo, cuti.cuti. won won. Tá, parei!

Aplicativos de pegação e a procura do príncipe encantado. Rola?!


Tenho certeza que a maioria dos que estão lendo esse post já conhecem os aplicativos de encontro mais usados entre os gays. Tenho ainda mais certeza de que devem usar muito para encontros, digamos assim, esporádicos. Que não saia daqui, mas uso e abuso deles também.

Mas há momentos que cansamos de encontros casuais e sem nenhum sentimento. E quando as nossas intenções de busca mudam, será que esses aplicativos continuam úteis? Da para achar alguém para um relacionamento serio nesses app's? Há quem diga que sim!

Ailton Amélio, psicólogo e autor do livro “O Mapa do Amo” (Editora Gente), afirmou em uma entrevista a coluna iGay, do portal iG, que recomenda o uso de aplicativos como Grindr e Scruff, mesmo o objetivo deles sendo os encontros sem compromisso. Segundo ele relacionamentos que a princípio não buscam envolvimentos afetivos, também podem dar origem a parcerias duradouras. Amélio afirma ainda que isso ocorre mais em relações entre os gays – ponto positivo pra gente.

A coluna foi atrás de saber se as suposições do psicólogo Ailton Amélio eram reais, e se alguém conseguiu achar a sua cara metade nos aplicativos. O portal conseguiu encontrar o caso do engenheiro Jesiel Lucena, 23, que após o fim de um namoro voltou aos encontros descompromissados dos aplicativos, mas acabou encontrando um novo amor.

A pergunta que não quer calar e volta a tona mais uma vez é se dá pra encontrar um namorado nos app's de pegação. Tem gente querendo algo sério no scruff, grinder, gayromeo, disponível e variáveis?!
Alguém aqui já conseguiu encontrar o seu love através de uma ferramentas dessas citadas? Conta pra gente [e aproveita e dá as dicas pra agarrar um homem, porque olha: tá difícil!]


Texto enviado pelo leitor Neto Almeida [que também é minha amigue tá?!]

Qual o tamanho da sua... proteção?


Não existe coisa mais linda do que quando você descobre que além de lindos, seu leitores são fofos, inteligentes e cheios de opinião [que agregam valor ao camarote].

Igual ao Marcio Rolim que além de redator publicitário, revisor de textos e mais um monte de coisa, também já teve textos publicados em diversas sites [como no feitoparahomens.com] e que claro, Betty Faria, Marcelo Faria, Pérola Faria e os fortes entenderão.

Marcio, que é leitor do blog e nosso fã, mandou esse texto bacana pra gente e que eu faço questão de publicar. Então segura na nossa mão e vem descendo:

************************

Viva! A indústria anunciou uma capa camisinha capaz de eliminar os vírus do HPV [passivos sabem onde ele se manifesta, né?], da hepatite B e até o do HIV. Mas eis a pergunta: é preciso isso pra que passemos usar camisinha nas transas? Não. Com ou sem espermicida, a camisinha é item obrigatório e isso é mais do 
mesmo.


A camisinha é algo que deve ser confortável, divertido e não pode tirar seu tesão. Sim, muitos caras perdem o tesão por colocar a camisinha e acabam por fazer sexo desprotegidos. O que pode ser uma furada... [que trocadilho infame]. Existe, no mercado, uma infinidade de preservativos, de diferentes marcas, cores, texturas, tamanhos, sabores e, claro, formatos [ou você acha que toda árvore nasce igual?].
Você precisa descobrir a boa pra você [ou vocês] e se pegar com ela pra sempre. Dá uma olhada nas dicas:

1. Faça testes:
Sem medo de ser feliz, compre diferentes marcas, tamanhos, aromas, texturas e use todas. Vá eliminando as que não lhe foram confortáveis, tanto pra você, quanto pra boy que você está comendo, até porque, como diria minha mãe, é ele quem sabem onde arde o calo. E sabe aquela boa e amiga punheta no banho? Também serve pra testar a parceira. Permita-se!



2. Aceite seu padrão
Nem apertada, nem folgada. A camisinha tem que desenrolar e ficar confortável. O comprimento é o que menos importa, mas sim, a largura. Se a neca é das boas, escolha as com largura de 54 a 56 milímetros. O conforto é incrível. Se você tem o bom e básico pau eficiente, escolha a de 52 milímetros, mas se você precisa ter mais performance [tudo bem, pau bom é pau duro], não se acanhe, escolha a de 49 milímetros e mande brasa. Nada de vergonha. Quem sabe, faz!

3. Brinque
Há cores, sabores e aromas que podem deixar sua transa bem legal. Claro, bom senso na hora da escolha [nada de escolher uma camisinha fluorescente e brincar de espada de Jedi]. Todo mundo gosta de ser surpreendido na hora da transa [exceto quando a coisa rola no darkroom da boite]. Uma vez ou outra, ouse no preservativo. O mundo é rosa!


4. Domine
Ninguém conhece melhor seu pênis do que você. Se o boy não tem habilidade em colocar camisinhas no cara, não peça. Faça você mesmo. Uma camisinha mal colocada pode rasgar durante a penetração ou até apertar o corpo do pênis impedindo o fluxo do sangue. E não, você não quer broxar por causa da camisinha.

5. Cuidados essenciais
Opte por preservativos lubrificados. Nem sempre se tem um tubo de gel lubrificante na hora de uma rapidinha. Nada de migrar da vagina pro ânus com a mesma camisinha. É preciso trocar. Gozou, tirou. O resto você já sabe, ou vai descobrir ao lado dela.
Faça sexo seguro sempre. Mas faça muito!

Recuperação de crianças vítimas de estupro homossexual: vem ver as propostas desse "deputado"


Olha essa internet ainda vai me matar qualquer dia desses, ainda mais nessa época de eleição onde tem político que faz de tudo para aparecer.
Por falar em político o candidato a deputado federal pelo Distrito Federal, Matheus Sathler (PSDB-DF) [e miguxo do Bolsonaro] conseguiu bater o recorde de propostar escrotas.

Do tipo que defende a "prevenção ao homossexualismo" [ele usa o termo "ismo" mesmo] o candidato enche o peito em um vídeo onde diz ter registrado em cartório uma proposta de doar 50% do próprio salário para "o combate e também para a recuperação de crianças vítimas do estupro pedófilo homossexual", deixa eu repetir só pra confirmar "CRIANÇAS VÍTIMAS DO ESTUPRO HOMOSSEXUAL". Oi?

Bem, como blogueiro a única coisa que percebi foi que se você for estuprado por um "homossexual" o deputado vai lá, te ajuda e te "recupera", mas se o estuprador for hetero, bem, ele não vai ajudar em nada. Nem preciso comentar o nível de irracionalidade e homofobia descarada disfarçadas de "boa ação" dessa proposta, ou talvez só mais uma jogada política para chamar atenção.

Enfim, pra piorar ele ainda falou isso: “Eu também me comprometo a criar o kit macho (sic) e o kit fêmea (sic) um nome carinhoso para poder rivalizar com o kit gay (sic) que está sendo distribuído nas escolas brasileiras e ensinando o homossexualismo”, disse o candidato a deputado federal.

Daí você gayzinha do DF já vai decorando o nome e fazendo as bases para esse ser humano não ser eleito, e pra quem tem estômago ... aperta o play e olha :








Homem é flagrado tentando entrar em presídio com objetos no ânus


Esqueçam suas mochilas, bolsas, sacolas, porta moedas e necessaires, a nova moda agora é guardar tudo no edí mesmo, pelo menos é o que eu tô achando.

Depois do caso do ator pornô que foi preso com uns "babadinhos" dentro do cooh, um homem foi preso tentando entrar num presídio com [se segura porque o fuá é profundo]: oito serras pequenas, cinco pregos, duas brocas, um pequeno alicate, dois aparelhos celulares e três chips, todos introduzidos no ânus. #morta

Agora a notícia na íntegra pra vocês lerem e começarem a rever o seus conceitos de "profundidade".


Um homem de 35 anos foi flagrado na tarde do último domingo (20), tentando entrar no presídio Inspetor José Martinho Drumond, em Ribeirão das Neves, com material proibido. 

De acordo com informações da Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), o visitante André Silva de Jesus levava oito serras pequenas, cinco pregos, duas brocas, um pequeno alicate, dois aparelhos celulares e três chips, todos introduzidos no ânus. 

Por ser portador de marca-passo, André não foi submetido ao aparelho de raio-x. A Polícia Civil vai investigar o caso e a direção do presídio instaurou um processo interno para apurar o fato. O visitante foi encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil para prestar esclarecimentos.


Casais gays nas novelas incomodam 51% dos brasileiros


Casais gays são constantes nas novelas há cerca de dez anos, mas repercutem ainda mais hoje uma vez que o amor entre
eles é mostrado de forma mais explícita. E o que o público pensa disso? Mostra-se dividido.

Segundo estudo do Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau, 51% se incomodam com o amor de Clara e Marina ou de Félix e Niko, por exemplo, na teledramaturgia.

O casamento civil entre pessoas do mesmo sexo tem uma rejeição um pouquinho maior (55%) e a adoção por casais homo é de 57%. O percentual de pessoas que não se consideram homofóbicas também foi de 57%. Para a pesquisa chamada Orientação Sexual e Opinião Pública, o instituto entrevistou 621 pessoas.

A grande maioria afirmou que não ter ou não um casal gay na trama não a faz deixar de ver a novela e que todos têm livre arbítrio para decidir verem o que quiserem.

Via: Parou Tudo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...